Alfarroba
Baixo Guadiana

A alfarrobeira (Ceratonia siliqua) é uma árvore de folha perene, originária da região mediterrânica que atinge cerca de 10 a 20 m de altura, cujo fruto é a alfarroba.

A raridade da alfarrobeira à escala planetária prende-se com  as exigências climatéricas desta árvore da bacia mediterrânica, conhecida desde remotas eras. Ela gosta de climas secos e suaves e não aguenta geadas. No que concerne ao nosso país e para além da vertente sul da serra da Arrábida, as alfarrobeiras concentram-se, sobretudo, no barrocal algarvio, onde assumem razoável expressão.

A alfarrobeira é pouco exigente em termos de cultura agrícola, tem um crescimento moroso e multiplica-se por sementes e por enxertia. O seu fruto, a alfarroba, é apanhado no mês de agosto. A floração que dará origem à produção do ano seguinte ocorre ao mesmo tempo que os frutos deste ano ficam maduros.

Tradicionalmente utilizada como alimento para animais, a alfarroba tem conhecido um novo impulso e novas utilizações: desde licor a bolos, bolachas e tartes, passando pelo gelado e fabrico de chocolate. Inclusive o óleo extraído das sementes da alfarrobeira tem sido utilizado na indústria cosmética. Da alfarroba tudo pode ser aproveitado, embora a sua excelência esteja ainda ligada à semente, da qual é extraída a goma, constituída por hidratos de carbono complexos (galactomananos). Para além das já mencionadas, tem tido também aplicações nas indústrias da farmacêutica, têxtil e do papel.

OUTROS PRODUTOS ENDÓGENOS